05 janeiro 2006

Casamento termina com a morte


Muita gente que é contra o casamento homossexual tem uma pergunta na ponta da língua: “Para que casar?”. Eles dizem que isto é uma bobagem,uma formalidade, que os gays querem apenas imitar o comportamento “normal”.
Acho que este artigo, publicado no site de noticias 365gay e escrito por Peter Moore, pode ajudar a ilustrar alguns dos motivos pelos quais o casamento, a união legal de duas pessoas, é tão importante, tão significativa, para as pessoas que não podem honrar o amor de uma vida toda, num momento de dificuldade.

UNIÃO CIVIL TERMINA COM A MORTE

(Londres) Este pode ter sido um dos momentos mais felizes nas vidas de Tony Williamson e Eric Stone. Eles forma um dos primeiros casais britânicos a trocar votos numa união civil em Blackpool. Agora, Stone está enfrentando a morte de seu parceiro.
Apenas 10 dias depois de sua união civil Williamson, 50, não conseguiu vencer a longa batalha que travava contra um câncer cerebral. Stone estava a seu lado no momento de sua morte em casa.
“ Nós sabíamos que ele estava muito debilitado, mas ele estava determinado a realizar nossa cerimônia no primeiro dia das novas uniões civis” disse Stone “Isto o ajudou a manter-se vivo, e eu terei maravilhosas memórias daquele dia””
Williamson lutou contra o cancer por muitos anos, e, apenas alguns dias antes da cerimonia de união civil, ele recebeu a noticia que outros dois focos de câncer haviam sido localizados. Stone, 75, também está seriamente doente com um câncer de fígado.
Eles foram o segundo casal que foi atingido pela morte nestas poucas semanas que as uniões civis tornaram-se legais na Grã Bretanha. Um dia após Matthew Roche unir-se oficialmente com seu companheiro de longa data - Christopher Cramp – Roche faleceu.
O casal trocou votos antes da data oficial de inicio das uniões civis. Roche, que tinha um câncer de fígado inoperável recebeu uma autorização especial que reduziu o prazo oficial de 15 dias para que os casais que entregam os documentos possam realizar as cerimônias.
A decisão do governo tornou Roche e Cramp como o primeiro casal do mesmo sexo a trocar votos na Grã Bretanha. A cerimônia teve lugar no Hospital St. Barnabas em West Sussex e foi presenciada por cerca de 20 familiares e amigos