14 abril 2006

CAMARA DOS DEPUTADOS vota lei contra homofobia

CÂMARA DOS DEPUTADOS DEVE VOTAR NA PRÓXIMA SEMANA PROJETO DE LEI QUE PUNE A DISCRIMINAÇÃO POR ORIENTAÇÃO SEXUAL
O Congresso pode votar na próxima semana o PL 5003/01 da Deputada Iara Bernardi (PT/SP), o projeto é o 17° item da pauta. A previsão para a próxima semana se deve ao fato da pauta do plenário estar atrasada.
Três medidas provisórias estão trancando a pauta no plenário por estarem com o prazo de tramitação vencido elas deviam ter sido votadas na semana anterior. Alem das MPs atrasadas o Congresso pode votar nesta terça feira (18/04) a proposta orçamentária deste ano e na quarta o processo de cassação do mandato do deputado José Mentor (PT/SP).A expectativa é que o projeto seja votado na terça ou quarta-feira da próxima semana.
"É de extrema importância que lideres do movimento GLBT do Brasil possam comparecer na Câmara dos Deputados no dia da votação, quem estiver lá vivera um dia histórico" afirma Toni Reis, coordenador do Projeto Aliadas e Secretario Geral da ABGLT . Toni alerta os ativistas do movimento GLBT para que fiquem atentos a Câmara dos Deputados, para que não se frustrem caso o PL não vá para o plenário na próxima semana devido a atrasos na pauta.

1 Comments:

Anonymous Luiz Carlos Cappellano said...

Em relação à movimentação que temos presenciado na mídia (inclusive na agência de notícias do Senado Federal) em relação à verdadeira "cruzada" que se promove contra a aprovação do Projeto de Lei que criminaliza a homofobia, temos algumas ponderações a fazer.
Inicialmente nos parece "estranha" esta cruzada dos evangélicos, não contra uma lei como querem fazer parecer, mas contra 10% da população mundial (sim, pois a ciência já demonstrou que esta é a porcentagem de indivíduos com orientação homossexual). Na realidade, muitos não deveriam nem se auto-denominar "evangélicos" pois o termo "Evangelho" se refere ao novo testamento e Jesus, Ele mesmo, jamais pregou a intolerância ou o preconceito, pelo contrário, vivia entre prostitutas, cobradores de impostos e mendigos e, ao que consta, não deixou que apedrejassem a adúltera, conforme previa a lei judaica. Disse Ele, que atirasse a primeira pedra aquele que não tivesse pecado. Repito a frase de Jesus, o mestre dos mestres, aos nossos pastores, nem sempre modelos de virtude ou de moral ilibada.
Mesmo Paulo, e sua famosa carta aos romanos, não é Jesus, embora afirme falar em nome Dele.
Além disso, se os "evangélicos" querem aludir ao Levítico e à Lei Judaica, na condenação à homossexualidade, então, porque não seguem na íntegra a tradição judaica, ou seja: santificam o sábado, deixam de comer carne de porco e circuncisam os seus filhos homens ao oitavo dia...Tudo isto está escrito na Bíblia!
Temos a ponderar também que em nosso país existe liberdade religiosa: cada um tem o direito de professar a fé na qual melhor se encontrar. Mais do que isto, nos é garantido pela Constituição Federal, em vigor desde 1988, que o cidadão tem o direito de livre expressão, inclusive o direito de expressar livremente a sua sexualidade. A mesma legislação que garante aos fiéis o direito de serem evangélicos (até 1889 o catolicismo era a religião oficial do Estado brasileiro) também garante os direitos dos homossexuais, que eles discriminam. Mais do que isto, garante que qualquer pessoa que se sinta diretamente agredida por comentários, inadequados e pouco éticos, recorra a um processo judicial: isto é um exercício de cidadania. Devemos lembrar que sempre que houve "caça às bruxas" e que os "hereges" queimaram nas fogueiras da inquisição também foi "em nome de Deus". Resta saber de qual Deus: Iaveh dos Judeus, Krshna, Jeová, Javé, Alah, Deus Pai Todo Poderoso... Todos permitidos no Brasil, isto sem necessitar citar nominalmente todas as entidades que compõe o panteão das religiões afro-brasileiras, igualmente permitidas.
Também devemos lembrar que a Bíblia não é o único livro santo; os judeus tem o Torah, os muçulmanos o Corão, os indianos o Badhara Gita e assim por diante. Mesmo em relação à Bíblia, todas as igrejas cristãs afirmam estar fundamentadas nos textos bíblicos, mas, havemos de admitir, existe grande diversidade de opiniões, de posturas e de práticas entre elas. Há lugar para todos nós neste planeta: para todas as cores de pele, todas as crenças, todas as línguas e todas as opções sexuais. Todos somos filhos de Deus, independentemente do nome que damos a Ele e, inclusive, gostaria de saber onde está a procuração assinada pelo Todo Poderoso, que autoriza apenas alguns a falar em nome Dele.

29/6/08 10:03 PM  

Postar um comentário

<< Home