01 outubro 2006

Adoção Homossexual na Espanha

Casal gay de Barcelona é o primeiro a adotar criança na Espanha





Um casal homossexual de Barcelona se tornou o primeiro da Espanha a adotar
uma criança desde a aprovação, em março de 2005, da Lei do Código de Família
da região da Catalunha, que permite que famílias homoparentais participem de
processos de adoção.

Ao longo destes 18 meses, 28 casais homossexuais, 20 deles formados por
homens e oito por mulheres, tentaram adotar uma criança na Catalunha,
explicou a conselheira de Bem-Estar e Família do governo regional catalão,
Carme Figueras.

O casal está com seu filho em casa há alguns meses, desde a conclusão do
longo processo que iniciaram para formalizar uma adoção de validade
nacional, segundo Figueras, que não deu mais dados dos pais nem do menor.

A conselheira lembrou que, ao contrário do que alguns setores conservadores
alegavam, a reforma legal que permitiu que casais homossexuais dessem
entrada em processos de adoção não provocou um "desmoronamento" nos pedidos
nem causou rupturas sociais, como demonstra o limitado número de
solicitações.

Pelo contrário, disse Figueras, eliminou barreiras discriminatórias por
razões de orientação sexual na hora em que a idoneidade dos dois membros do
casal é avaliada no processo adotivo.

A conselheira ressaltou que nas adoções é preciso deixar de lado a
orientação sexual dos pais e considerar apenas o bem-estar do menor.

"O mais importante é que seja um benefício para a criança, que se tenha
certeza de que ela será querida, cuidada, respeitada e bem tratada",
direitos que, às vezes, não são respeitados nas denominadas "famílias
tradicionais", comentou Figueras.

EFE

Agência Efe - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de
reprodução sem autorização escrita da Agência Efe S/A.





Novidade no Yahoo! Mail: receba alertas de novas mensagens no seu celular. Registre seu aparelho agora!